quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Definindo um novo roteiro... Você me acompanha???



Os anos de 2012 à 2016 não foram nada fáceis e com minha vida profissional totalmente atrapalhada...  Na angústia de não ter o que fazer, eu fiquei sonhando e planejando viagens de moto. Muita pesquisa, muito detalhada, praticamente cada metro de estrada verificado e planilhado. Eu só não tinha duas respostas: quando e com que dinheiro.

 

O propósito das minhas viagens é de percorrer e descobrir, cobrindo de informações, toda a Cordilheira dos Andes, desde o Perú até o Cabo Horn. Como eu já estive em duas partes centrais, faltam dois roteiros.





O roteiro “ A “  seria de Buenos Aires à Ushuaia, na ida pelo litoral do Atlântico sul e  retornando pelo interior, ao lado da cordilheira principal. 


O roteiro “ B “  seria o Peru, via Paso de Jama, conhecendo Machu Pichu, meu sonho de criança.

 

Em agosto de 2014 os roteiros estavam totalmente prontos, com listas de hotéis e todos os detalhes orçados e planilhados metro a metro. Mas os planos ficaram mofando em um pen drive.


As coisas melhoraram durante o final de 2016.
Então comecei os preparativos...  bastava escolher um dos dois roteiros prontos.

 

Mas... Aconteceu algo...

 

Quanto jantamos com amigos sempre existem pessoas razoáveis, umas divertidas, umas que não falam nada e nunca falta uma pessoa que só fala asneiras. Bem, em um destes havia uma fulana que só falava bobagens  e começou a desdenhar nossas viagens (minhas e de alguns amigos), por que nestas não temos um objetivo concreto nem prático. 


Eu nem tentei explicar para a moça o valor de uma viagem pelo prazer de chegar lá.  Para ela só valem as viagens à Miami para um tsunami de compras e parques temáticos pasteurizados, de preferencia com algum desavisado pagando as contas...














Nas duas etapas anteriores eu camuflei minha mania de andar por aí dentro do pretexto de "ir ao pacífico" ou "ir ao Atacama".  Me senti inundado com uma enorme vontade de fazer algo sem objetivos concretos, sem chegar a um lugar específico. Os únicos compromissos seriam escrever para o blog e retornar ao trabalho ... de preferencia inteiro...






































Eu sei muito bem onde existem lugares que são a definição de “nada”; de “ lugar esquecido por deus”; de “na PQP” e etc.. 


Todos chamam Ushuaia de “fim do mundo” (fim do mundo mas com excursão, balada de paulistano e um monte de harleys...) eu não quero ir ao fim do mundo, quero simplesmente ir à lugar algum. 


Portanto montei o roteiro para os próximos dias com o tema: vou para onde ninguém vai,  por que lá não há nada!

 

















Se você, caro leitor, gosta de ler sobre destinos sofisticados, lugares agitados, praias, celebridades de bikini, clima ameno, hotéis sensacionais, escândalos da alta sociedade e etc., pode desistir de todo este seco, frio e poeirento roteiro.




















Mas se você gostou das fotos acima, que infelizmente não são minhas e quer conhecer lugares esquecidos por Deus (...e evitados pelo Tinhoso), acompanhe este blog nos próximos dias!!!





“Why are we going? Because it´s there!” - Neil Armstrong, se referindo à lua.




Próximo post em 20 de fevereiro... 
se nada der errado...